MORPHOGENESIS

Inauguração | Opening
15.05.2017 | 22h00

Gabriel Abrantes
Caroline Achaintre
Vasco Araújo
Irma Blank
José Pedro Cortes
Debora Delmar Corp.
Alexandre Estrela
Karlos Gil
Sasha Litvintseva
Maria Loboda
Arnout Meijer
Adrien Missika
Saskia Noor van Imhoff
Diana Policarpo
Mariana Silva
Marta Soares
Tris Vonna-Michell

Curador | Curator:
João Laia

PT

O momento actual é caracterizado por mudanças aceleradas. Debaixo da superfície, forças tectónicas têm sofrido intensificações imponderáveis e forçado o questionamento dos contornos da realidade, outrora estáveis. A vida é agora definida pela imposição da noção de crise, que percorre as diferentes dimensões das estruturas sociais e a sua articulação com conceitos de ecologia, economia, política, representação e ciência.

Somos forçados a ocupar os interstícios de fronteiras fluídas, a assistir à fricção de movimentos caracterizados por forças opostas e por diferentes percepções de espaço e de tempo; um momento transitivo de condições e disposições híbridas no qual se afirmam novas entidades. A palavra “morfogénese” descreve o processo de desenvolvimento formal de um novo organismo. Este é um conceito recuperado à biologia que, aqui, assinala este momento de transição.

Esta exposição debruça-se sobre ideias de transformação e diferença, e, através de uma análise do momento presente e de uma abordagem especulativa sobre o futuro, pretende aferir o modo como estas alterações afectam a noção partilhada do que é a vida e do que pode, eventualmente, vir a ser. A selecção de artistas apresentados analisa o modo como afectos, capital, imagens, linguagem, objectos e sistemas se constituem e transformam enquanto circulam. A combinação das diferentes propostas de pesquisa destes artistas cria um mapa polifónico e abarca os paradoxos e complexidades da nossa condição actual.

EN

We are experiencing a critical period of change. Below the surface, tectonic forces have intensified unforeseeably, questioning previously stable contours of reality. Life is being defined by a sweeping notion of crisis which underlines the multilayered social embeddedness of ecology, economy, politics, representation and science.

We are left to inhabit an interstice of fluid boundaries and to witness the friction of opposing movements and different perceptions of space and time; a transitional moment of hybrid conditions and arrangements in which new entities are taking shape. The word morphogenesis describes the development process of an organism’s form. It is a concept originally found in biology which here signals the current moment of transition.

This exhibition focuses on ideas such as transformation and difference, analysing the present and speculating about the future by looking at how change is affecting our notion of what life is and what it might become. The selection of artists included analyses how affect, capital, images, language, objects and systems are being constituted and transformed while circulating. Their combined investigations create a polyphonic map embracing the complexities and paradoxes of our current condition.

Horário

Terça a Sexta: 12h – 19h
Sábado: 15h – 20h

Opening hours

Tuesday to Friday: 12 PM – 7 PM
Saturday: 3 PM – 8 PM

Galeria
Francisco Fino

Rua Capitão Leitão, 76
1950-052 Lisboa
Portugal

+351 925 623 717

galeria@franciscofino.com